facebooktwitter
  • Cuidando da pele dos nosso pequenos

    27 jul 2017 | Postado em: Blog | Por: revistatravessura

    Tem coisa mais gostosa do que pele de bebê? Ela é sinônimo de pele bonita! Quantos vezes já ouvi no consultório: “Quero ficar com pele de bumbum de neném”! Então vamos aprender a cuidar bem da pele dos nossos pequenos?

    A verdade é que nem mesmo os bebês estão livres dos problemas dermatológicos. Eles são inclusive, muito frequentes. Você sabia que, por exemplo, até os recém-nascidos podem ter acne (espinhas) e seborreia (caspa)? Que o eritema tóxico, apesar do nome que assusta, é comum e não causa toxicidade e nenhum outro mal ao bebê? Isso só para citar algumas condições dermatológicas que os bebês estão sujeitos a ter, e mostrar que nem toda “bolinha vermelha” na pele do bebê é “brotoeja”.

    Assim como os outros órgãos do recém nascido, a pele (o maior órgão do corpo humano) está se adaptando ao novo ambiente e completando o seu desenvolvimento. Alguns estudos sugerem que a barreira cutânea só estará completamente formada 12 meses após o nascimento. A pele e a sua barreira cutânea tem a função de proteger nosso organismo de microorganismos, infecções e traumas mecânicos, regular a temperatura corporal, evitar a perda de líquidos, ajudar no desenvolvimento neuropsicomotor através do tato, entre outras funções. Por isso, é tão importante exercemos os cuidados corretos ao lidar com a pele dos nossos pequenos.

    Como medidas gerais devemos evitar banhos muitos quentes, o ideal é que a temperatura varie entre 35 e 37,5°C (por isso é interessante ter o termômetro de banheira, ao invés de utilizar apenas a nossa sensibilidade como referência), não usar buchas e esponjas, dar preferência aos syndets para limpeza da pele pois tem o pH mais próximo ao pH da pele, sempre que necessário hidratar com produtos dermatológicos e de preferência logo após o banho, evitar excesso de xampu e sabonetes. O uso de perfumes também não é recomendado (se para você o cheirinho de bebê é indispensável, uma dica é usar sachês perfumados no armário do bebê).

    Nas trocas de fralda usar com delicadeza algodão com água morna e secar a pele antes da aplicação do creme de barreira. Trocar com frequência as fraldas e dar preferência as descartáveis superabsorventes pois permitem que a pele fique seca por mais tempo. Evitar o uso de lenços umedecidos e quando for necessário o seu uso, escolher os sem álcool e fragrâncias.

    Também devemos ter cuidado com as roupas dos bebês, evitando que fiquem resíduos de sabão e amaciante ao lavar, dar preferência para roupas de algodão e retirar as etiquetas das peças. Evite também superaquecer o seu filho, já que o excesso de calor pode causar lesões como a miliária, uma dica é usar uma peça de roupa a mais do que a que você está usando como cobertura para o frio.

    Muitos produtos cosméticos destinados a higiene e proteção da pele de bebês e crianças não são realmente adequados para o uso nessa faixa etária. Nem mesmo produtos que apresentam em suas embalagens frases como: dermatologicamente testado, pH balanceado, produto orgânico, produto natural, tem a garantia de segurança dos ingredientes usados em suas formulações. Além disso, como a pele dos bebês é mais fina e ainda não tem a barreira cutânea devidamente formada, ela absorve mais os produtos aplicados, o que pode ser tóxico para a criança. Portanto nunca faça uso de medicamentos em creme ou pomada sem a orientação de um médico.

    Se mesmo com todos os cuidados adequados o seu pequeno ainda apresentar alguma lesão de pele, fique tranquilo, procure o dermatologista e ele irá te orientar!

    Dra. Petra Maria Stuhr , dermatologista 

     

     

Os comentários estão fechados.